images

Se quisermos compreender a vida não devemos definir as coisas como se fosse uma soma com um único resultado decisivo.

Estive pensando que antes de ser um João, sou um “Pereira da Silva”, carioca e Brasileiro e tudo isso junto me afeta.

Na antiguidade as pessoas eram conhecidas como “filho de” , porque o pai já era conhecido por suas relações e realizações e o filho era ainda alguém que estava aprendendo a construir sua identidade e herdaria do pai e da mãe grande parte dos valores.

Estamos acostumados a reduzir as coisas e as pessoas em uma única definição, decretando um resultado como se estivéssemos em um permanente julgamento.

E este comportamento  nos limita e limita o mundo que vivemos e nos impede de ver claramente, pois afinal somos feitos de coisas diferentes e até contraditórias que se combinam. A definição, como o próprio nome diz é uma redução ou simplificação.

Isso acontece porque dá muito trabalho usar as nossas faculdades de razão e abstração simultaneamente, e também porque queremos ser rápidos e práticos, mas com isso atrofiamos nossa inteligência.

Segundo este raciocínio não devemos fundir as coisas mas sim colocá-las em camadas sobrepostas em ordem, porque elas afetam umas as outras e por fim geram resultados, que são efeitos de causas diferentes reunidas.

Lavoisier explica isso quando afirma que na natureza nada se cria, nada se perde mas tudo se transforma. Em outras palavras, não se pode mudar as causas mas sim adicionar novos elementos e produzir novos efeitos.

Portanto, antes de ser hoje um dia 2, estamos em um ano 2020 no mês de fevereiro. O que significa dizer que o dia de hoje é uma consequência de um ano e um mês que lhe antecederam e tudo que já foi realizado.

Da mesma forma quando alguém muda o nome, não deixa de ser quem era mas acrescenta uma nova camada ao que já existia.

O novo então cria uma nova camada na superfície, semelhante a um bolo que tem massa, recheio e cobertura. Um bolo de chocolate sempre será um bolo de chocolate, mas poderá ter um recheio de doce de leite e uma cobertura de côco por exemplo, que o fará levemente diferente de outro que tenha recheio de morango e cobertura de ameixas.

Analisando este  dia 2/2/2020, segundo a numerologia, vemos que a base para todo o ano é o número 4 (2020), que inspira ordem, disciplina e racionalidade.

O mês 2 se sobrepõe ao ano 4 com uma dose de sensibilidade, e o dia 2  acrescenta mais uma camada de emoção, delicadeza e leveza, características do número 2.

Mas como a base é um 4, que representa a estabilidade,  toda essa emoção e energia do número 2 poderá ser canalisada pela razão, firmeza e ordem.

Se a água(2) tente a se expandir, a terra(4) impõe limites e permite criar um fluxo continuio como em um rio.

O efeito final é a possibilidade de administração das forças, gerando um fluxo de realização contínua e progresso, como indica o número 8 que é o somatório de 2+2+4. Mas isso só irá ocorrer para aqueles que forem capazes de controlar, organizar e canalisar as fortes energias emotivas.

Este raciocínio poderia ser aplicado as pessoas e situações com que lidamos, pois ninguém pode ser definido simplesmente  como um “chato”, um “teimoso”, preguiçoso, engraçado, bom, mau, valente, corajoso, sem noção. Todos somos uma combinação de forças contraditórias que se combinam a partir de uma base ou estrutura.

É realmente um grande desafio para a mente abstrata imaginar tudo isso funcionando junto, não ?

Mas se acostumarmos a pensar desta forma, cai por terra a descriminação, julgamento e toda forma de separatividade e começamos a ver um mundo reintegrado

Então poderemos ver a nós mesmos de forma diferente, entendendo que o Uno permanece indivisível, incorporado no espírito individual que por sua vez se manifesta na personalidade.

O Uno no Diverso,Universo

Rio, 2/2/2020

João Sérgio Pereira da Silva