caminho-flores-por-do-sol

Planejamento estrategico

Planejar é olhar para o futuro e decidir onde e como queremos estar. Este futuro pode ser amanhã, o mês que vem ou o ano que vem.

Primeiro precisamos saber quem somos, onde estamos e o que queremos, qual a nossa missão.

Em seguida despertamos  a vontade de alcançar um determinado  objetivo e tomamos a decisão que faremos algo para que isso aconteça.

Depois da decisão precisamos partir para a  iniciativa.

A primeira iniciativa deve ser o planejamento, pois caso contrário não poderemos enxergar as dificuldades do caminho e corremos sério risco de desanimar e fracassar.

Na maioria das vezes não é isso que fazemos.

Queremos mas não decidimos de verdade, e não planejamos a rota para nossos objetivos e vamos fazendo do jeito que dá esperando que as coisas se resolvam por si mesmas.

Planejar exige uma escolha, e consequentemente, várias renúncias.

E precisamos escolher  um objetivo que possa ser medido e comprovado porque do contrário como saberemos que estamos no caminho certo?

Para isso precisamos saber claramente os nossos talentos e o que nos falta, quais as nossas fraquezas e dificuldades atuais, ou seja, conhecer a nós mesmos.

De posse disso podemos estabelecer uma meta e um caminho para atender tais necessidades.

Em seguida vem a reflexão sobre a estratégia, que é a escolha do caminho a seguir para alcançar estes objetivo e como superar tais deficiências. Novamente teremos que fazer escolhas e renúncias.

É aí que entram as nossas forças.

Todos temos forças ou talentos que são frutos de nossa história e serão elas a nossa alavanca de Arquimedes.

A questao que precisamos refletir é como usar estas forças para superar nossas deficiências?

Mas é  preciso também algo novo, uma certa dose de ousadia e coragem para inovar e transformar a situação atual.

Depois que o plano foi traçado, os objetivos definidos e mensurados, as estratégias preparadas, precisamos começar a caminhada e colocar a mão na massa.

O segredo da caminhada é a disciplina para respeitar os limites que foram estabelecidos e agir conforme o planejado.

É preciso ainda um acompanhamento de perto em cada etapa para saber se estamos no caminho certo e corrigir desvios.

Pode parecer meio chato e sem graça viver assim conduzido por um fluxo de ações planejadas sem muita liberdade de criação.

Mas é justamente o contrário que ocorre. Uma mente que já tem um caminho definido e não precisa mais se preocupar com isso libera toda sua capacidade de criar para oferecer ao caminho um  brilho especial, inovação e soluções criativas para os problemas que vão surgindo.

O caminho é construído enquanto se caminha.

Mas isso não acontece para quem não sabe para onde está indo, ou não estabeleceu os limites, porque a cada novo problema surge uma nova ideia que leva a um novo caminho com objetivos diferentes, que nunca serão alcançados.

Que tal, vamos planejar para onde queremos ir ?

16 de novembro de 2019

João Sergio