coracao forte

O dia terminou, mas foram emoções maravilhosas e ficou o desejo de permanecer assim eternamente neste estado apaixonado.

Um novo dia traz uma nova caminhada.
Ficam as doces lembranças, mas a vida prática traz a tona os objetivos e a razão que afastam aos poucos as emoções.

Diante da frieza da lógica e da rotina, como restaurar aquela emoção prazeirosa ?

Seria possível reconstruir seus caminhos, semelhante a um projeto?

Parece que as leis da lógica não funcionam neste terreno, pois são próprias do mundo vertical, e as águas das emoções se espalham na horizontal.

As emoções nascem de um estímulo e se espalham rapidamente preenchendo nosso ser de forma não sequencial.

Talvez precise de algo que possa despertar a emoção como uma música, um abraço, a beleza, um gesto carinhoso, uma gentileza, um poema, um ato de cuidado por alguém.

Ao abrir o coração estas sementes podem despertar o amor, que se espalha para tudo que fazemos, pois embora tenha inicialmente uma origem ele é contagiante.

Mas se a mesma porta que abre o coração para o amor pode despertar outras tantas emoções que entorpecem a alma, o que fazer?

Seria possível então escolher cuidadosamente  as sementinhas que plantamos no coração?

Existiria então a inteligência do amor?

Pode ser que tenhamos um novo êxtase, mas parece que diferentemente de uma construção física que permanece sólida durante anos mesmo depois de terminada a atividade, o amor se esvai feito água pelo terreno tão logo cesse sua fonte mantenedora.

Seria então necessário um exercício diário para mantê-lo vivo, uma fonte que jorre permanentemente.

É preciso praticar.

Amor todo dia!

E preciso agir com boa vontade, carinho, gentileza, perdão todo dia para despertar e realimentar o amor.

O amor nosso de cada dia.

O vinho que precisa ser derramado sobre a dureza do pão diariamente como sugeriu Jesus.

Um ato de vontade e sabedoria para manter vivo o amor.

Enfim a inteligência se une ao amor.

10 de novembro de 2019

João Sérgio