cachoeira-do-simao-goncalves

Toda gota de orvalho sonha com a liberdade do mar.

Ela recorda os tempos onde vivia imersa no gigantesco oceano e buscou os vapores da liberdade para habitar entre as nuvens, que como aventureiras voavam ao sabor dos ventos.

Até que em sua jornada encontrou as formações rochosas das montanhas e precipitou-se como uma gota de orvalho.

Juntou-se estão a tantas outras deslizando pelo terreno em busca do caminho do mar.

Cairam em veios com suas margems limitadoras formando assim um curso de forte correnteza.

A palavra curso nos remete a algo que se move em uma direção, como as águas de um rio.

Todo rio tem margens, correnteza, obstáculos e um fluxo contínuo em direção a um objetivo.

Entrar “em curso” é um estado de espírito , de quem adquire gradualmente novos conhecimentos em uma sequência inteligente e coordenada para chegar a um novo lugar.

O método, a técnica e a disciplina funcionam como as margens de um rio que canalisam as emoções, criando um fluxo contínuo de realização.

Um fluxo é uma corrente de energias que traz a sensação de permanente transformação  e movimento.

Pensando bem, a vida é um curso.  Os mestres estão ao nosso redor, os obstáculos e dificuldades testam a nossa determinação, as margens estão lá como limites para nos manter no curso de nossos objetivos e escapar da seducao das facilidades.

Os obstáculos são os nossos demais interesses que concorrem com o curso e tendem a nos tirar da correnteza.

A orientação dos amigos poderá ajudar a evitar que estes outros interesses nos levem a cair em armadilhas.

Mas assim como as águas, a tendência natural do ser humano é espalhar-se em busca da liberdade.

Ocorre que muitas vezes nos deixamos levar pelo prazer e pela facilidade e decidimos relaxar um pouco. Outras vezes somos arrastados por outros interesses e obrigações  que nos desviam, mas depois retomamos nosso caminho.

Mas outras vezes colocamos o desejo de liberdade, ou outros interesses acima de nossos sonhos.

Ai o nosso rio se transforma em uma lagoa, que embora irrigue as terras, não leva a lugar algum e ficamos presos em nossos prazeres e ocupações.

Paradoxalmente a facilidade que nos acena com a liberdade se torna nossa carcereira, enquanto a desconfortável disciplina que nos limita poderá nos levar a liberdade da conquista.

Como disse Adriana Pina, diretora do BNI Rio de Janeiro, “Se você parou de se sentir desconforto é porque parou de crescer”

Sem foco e disciplina não alimentamos um objetivo e ficamos pelo caminho esquecendo de nossos sonhos.

Como disse Bernardinho, ex-técnico da seleção feminina de vôlei.  “A distância entre o sonho e a realidade  se chama disciplina.”

João Sergio