Liberdade

Poder ir e vir quando quiser.
Se expressar livremente…
Falar…
Cantar…
Fazer o que “der na telha”!
Parece tão simples…
Mas não é!
Só quando somos cerceados na vontade é que nos damos conta desse bem precioso…
As limitações podem ser muito tênues…
Camufladas…
Escondidas…
Auto impostas!
Existem regras…
Costumes…
Tradições.
Muitas fazem sentido:
A sua termina onde começa a do outro.
Outras extrapolam o bom senso:
Restrições impostas por ameaças ou chantagens abusivas.
Saber dosar…
Não extrapolar…
Agir sem ferir ou ofender o próximo…
Respeitar a opinião do outro!
A verdadeira liberdade:
É a consciência do poder e do dever.
A dosagem perfeita entre realização pessoal e o bem estar comum.

DayseGhaya