intestino 3

Sim, o intestino também é uma máquina do nosso sistema que tem seu próprio ritmo. O  intestino se contrai e empurra o bolo alimentar na direção do intestino grosso, onde se processa especialmente a absorção da água e do sódio.

Trata-se do movimento involuntário e progressivo próprio dos órgãos ocos que, por meio de contrações coordenadas e sucessivas, desliza o bolo alimentar para frente.

A velocidade com que isso ocorre, porém, depende do tipo de alimentação e dos estímulos recebidos. Existem substâncias, principalmente o álcool, que aceleram o processo e lesam a mucosa, podendo causar diarreia.  E outras retardam o trânsito dos alimentos.

Não se deve encarar o mau funcionamento do intestino como algo natural. É preciso estar atento e procurar atendimento médico se houver sangue ou muco nas fezes, distensão e cólicas abdominais ou elevação da temperatura. 

A escolha da dieta adequada é fundamental para o bom funcionamento dos intestinos. Alimentos ricos em fibras, como cereais, verduras e frutas, devem ser ingeridos diariamente, porque facilitam a formação do bolo fecal.

Os alimentos engolidos sem a mastigação devida vão ficar mais tempo no estômago e provocar sensação de plenitude, de estômago cheio. Nesse caso, certamente a absorção dos nutrientes será prejudicada.

O alimento vai direto do estômago para o duodeno que é o primeiro segmento do intestino delgado.

 Saindo do estômago, o alimento passa por um tipo de válvula, o piloro, um pequeno túnel de comunicação entre o estômago e o duodeno, que desempenha função importante.

 No duodeno, ocorre uma fase importante do processo digestivo: a recepção das enzimas pancreáticas e da bile que, misturadas ao bolo alimentar, ajudam a diluir as gorduras e favorecem a digestão enzimática dos alimentos.  Quebrando-as na forma adequada para serem absorvidas pelo intestino delgado.

Seria quase impossível digerir os alimentos se elas não existissem.

Características do intestino delgado 

download

No intestino delgado, realizam-se etapas importantes do processo digestivo. Ele mede cerca de 4  a 6 metros de comprimento e se acomoda, enovelado, na cavidade abdominal. Sua parede interna é uma mucosa toda enrugada. Composta por vilosidades, pequenas protuberâncias, que se movimentam, como válvulas, fazendo-o empurrar o bolo alimentar, por todo o percurso.

As fezes são formadas por resíduos que provêm de alimentos que foram ingeridos e não foram absorvidos, sobretudo pelos vegetais revestidos de celulose. Esse material, associado a células que descamam no trato digestivo e a um conteúdo bacteriano muito grande, vai formar o bolo fecal. Essa massa é empurrada pelo movimento peristáltico. Quanto maior o volume, mais fácil fica a eliminação.

As fibras vegetais representam um meio de transporte para esse conteúdo. Sem elas, a quantidade de água diminui bastante no interior do intestino e as fezes tendem a ressecar. Na verdade, as fibras vegetais puxam água para dentro da luz do intestino.  Com mais água, o volume fecal aumenta.

O trânsito dos alimentos no intestino delgado varia de acordo com o que foi ingerido. Em média, demora de 45 minutos a 2:30h., portanto, contando o tempo que os alimentos ficaram no estômago, o bolo alimentar leva de 3 a 4 horas para cair no intestino grosso.

Por isso, alimentação rica em fibras ajuda a aumentar o bolo fecal e estimula as contrações para empurrá-lo para frente. É o próprio conteúdo, que distende o intestino, o responsável pela contração. Quando o bolo alimentar chega ao reto, surge a sensação de peso, de plenitude retal e a vontade de evacuar.

Diz-se que tem intestino preso a pessoa com menos de três evacuações por semana ou que não consegue evacuar o necessário, embora vá três ou quatro vezes por dia ao banheiro. Portanto, há dois critérios para classificar, como preso, o intestino. O primeiro refere-se ao paciente com número reduzido de evacuações e o segundo, ao que tem dificuldade para eliminar as fezes. Esse pode ir ao banheiro três ou quatro vezes no mesmo dia, mas só consegue evacuar um pouquinho de cada vez.

O mecanismo da evacuação envolve uma série de músculos controlados por enervação muito complexa e devem agir de forma harmônica. Alguns músculos precisam contrair enquanto outros relaxam para que o bolo seja eliminado. 

Agora que você ja sabe a importância do seu intestino vai uma dica. Beba bastante água para assegurar o seu melhor funcionamento. 

 

wanda Ceila