Uma menininha vendo sua vovó tomando remédios perguntou intrigada:

-Vovó, porque você está tomando este remédio?

A Vovozinha, acostumada com as perguntas da netinha respondeu simplesmente:

– Porque o médico mandou tomar.

A netinha então imediatamente perguntou:

-Vovó, para que serve este remédio que você está tomando?

A vovó prontamente respondeu:

– Este remédio serve para controlar minha pressão.

Mas a netinha não se contentou e fez uma outra pergunta:

– Mas porque você precisa controlar sua pressão?

A senhora já um pouco irritada respondeu:

– O médico disse que eu estou retendo líquidos.

É Claro que menina não se contentou e perguntou ainda:

– Mas porque você está retendo líquidos?

A senhora já desconcertada respondeu:

– Parece que meus rins não estão funcionando direito.

Então a sabida menina perguntou a senhora:

– E porque você não conserta os seus rins?

De repente a senhora percebeu que talvez a menina estivesse certa e que ela precisava consultar um outro especialista para entender porque seus rins não estavam funcionando bem.  No dia seguinte ela foi ao médico e descobriu que precisava mudar sua alimentação. O médico lhe indicou uma nutricionista que modificou sua dieta e após alguns meses não precisou mais tomar o remédio para pressão.

Como pode ser percebido esta é uma historia fictícia mas serve para exemplificar como as perguntas muitas vezes são muito mais importantes do que as próprias respostas.

Os especialistas em solução de problemas afirmam que se você fizer uma sequência encadeada de pelo menos 5 porquês, irá mergulhar na raiz do problema e encontrar a sua causa verdadeira, ao passo que se você se contentar com o primeiro ou segundo porque, além de não resolver o problema estará criando novas causas que causarão novos problemas.

Dizem eles que quem faz as perguntas está no controle da situação porque pode conduzir uma sequencia encadeada e logica que conduz a solução.

Se nos acostumarmos a sempre perguntar pelo menos 4 ou 5 porquês encadeados talvez muitas causas desconhecidas venham a tona e nossa vida possa ficar mais simples.  As vezes o processo é mais complexo e precisa de muito mais perguntas para trazer alguma luz. É claro que uma pessoa que fica perguntando Porque, Porque, Porque … se tornará chata e desagradável, mas existem outras formas de formular a pergunta para não se tornar cansativo, como por exemplo perguntando o que levou a isso, ou como isso aconteceu, etc.

Podemos também nos acostumar as fazer estas perguntas a nós mesmos em busca de compreender nossas razoes para determinadas atitudes ou reações e com isso ganhar maior autoconhecimento e controle.  Nenhuma emoção resiste a uma sequencia logica de perguntas, principalmente porque a área de nosso cérebro que produz as emoções é diferente da área que encadeia a sequencia logica e racional.

É claro que nestes casos devemos deixar um espaço apos uma pergunta para que nossa natureza interna consulte suas fontes e nos traga alguma resposta.  O ato de perguntar produz uma necessidade e dispara nosso mecanismo de busca até que algo venha a tona para satisfazer nossa necessidade.

Então, vamos experimentar ?

Porque você ainda não compartilhou esta matéria com seus amigos?

Se você gostou deste texto, convido-lhe a deixar seus comentários e compartilhar com seus amigos.

Mas não esqueça de informar a fonte.

Cadastre-se para receber outras mensagens.

Curso de Numerologia (2)