Amigos, depois de pensar bastante tomei uma decisão e achei legal compartilhar. Vão me chamar de esquisita, mas eu já to acostumada e já não ligo. Já avisando que é textão.

Hoje é Valentine’s day. Não sei a história por trás dessa data, mas sei que hoje em dia ela significa que você tem que consumir alguma coisa pra obrigatoriamente dar de presente pra sua/seu namorada/o.

Por não ter tempo no momento pra viajar, eu pensei em várias alternativas de presentes ctiativos. Quem conhece a minha historia com o Luis sabe que eu amo fazer os presentes que eu vou dar, simbolizando alguma coisa nossa, e não uma coisa aleatória tipo sei lá, um relógio. Mas mesmo pensando em presentes que eu fosse fazer, eu vi como eu teria que consumir. Consumir muito. Tirando um jantar legal, em algum restaurante maneiro, não existia uma opção que não fosse de consumo.

Quem me conhece provavelmente também não conhece alguém tão romântica como eu. Foi estranho pra mim abdicar de um presente, de postar foto bonitinha mostrando como ele se importa comigo. Entende? Pra mostrar que se importa tem que consumir, pra comemorar uma coisa que não tem nada a ver com consumo.

Eu não acho que eu estou boicotando o capitalismo sendo super revolucionária, ó meu Deus. Mas acho que a melhor forma de melhorar nós mesmos é refletindo mais. Nutrir minha alma de amor vai me impedir de ficar vazia e tentar nutri-la de consumo. Eu não quero ir em uma loja comprar uma blusa feita por trabalho escravo. Não quero continuar reproduzindo essas coisas numa relação que não tem nada a ver com sofrimento e alienação. Enfim. Só uma reflexão pra quem é romantico como eu continuar sendo, até mais.

Ps. Isso não tem a ver com o Luis “mão de vaca” ( kkkkk). Por incrível que pareça partiu de mim. Mas obviamente tem um marido muito mais apaixonado agora no mundo.

Bruna Saldanha