Neste número trazemos a nossos irmãos uma bela prece intitulada Súplica.
E como introdução e inspiração ao ato supremo da oração anexamos algumas
palavras do nosso amado Irmão Maior Antônio Olívio Rodrigues, retiradas
de seu precioso livro Curso de Iniciação Esotérica:

“Não necessitamos de andar ociosos ou apressados para a plena
manifestação. Não percamos de vista, em tempo algum, o fato de que o
nosso desejo, por maior que seja, é unicamente o desejo de Deus em nós.

Nenhum homem vem a mim, a não ser que meu Pai chame a si.

O Pai em nós deseja revelar-nos o segredo da sua presença, de outra sorte não
sentiríamos esse grande apetite para o segredo ou para a verdade.“

Vós não escolhestes, mas eu vos escolhi e vos ordenei que fosseis e
produzísseis fruto.

Em suma, depois de todo o nosso afã pela luz e pela verdade, cabe-nos
aprender  como cada um por si mesmo há de ligar-se a Deus para esta
revelação interna da verdade e conhecimento de sua unidade com ele.
A luz de que necessitamos não é alguma coisa que Deus tem que nos dar.

É Deus mesmo. Deus não nos dá vida ou amor como uma coisa. Deus é luz,
vida e amor. Mais de si mesmo na nossa consciência é, pois, aquilo de que
todos carecemos, pouco importa o nome que lhe damos.

A minha dispensação de força deve vir “do alto”, de uma região dentro de
mim mesmo mais elevada do que a minha mente consciente atual; o mesmo
se dá convosco.